A Imaginação Infantil e sua importância


A mente humana é como uma máquina que produz pensamentos, sendo que uma dessas ações denomina-se “imaginação”. A importância da imaginação, na fase infantil, está ligada à criatividade que a criança possa desenvolver durante todas as outras fases da vida. As crianças são criativas e elas inventam universos onde se transformam no que querem ser. Fazem isso com objetos também.

Através da imaginação, a criança também pode fantasiar que tem um amigo imaginário, que é um personagem com o qual a criança brinca e até briga. Isso é normal e faz parte do desenvolvimento. Os pais, às vezes, não entendem que isso é normal e se preocupam,  mas eles devem prestar atenção na criança que não tem amigos reais e só imaginários, pois isso já é um problema de relação interpessoal que pode fazer mal à criança.

A cada fase da vida, a imaginação evolui e os pais precisam acompanhar e incentivar as crianças. Até os três anos, elas estão na fase da experimentação, portanto os objetos ganham vida e a criança acredita realmente nisso. Dos três aos cinco anos, os pais até já são convidados a participar das brincadeiras e as histórias ganham mais sentido. Dos seis aos oito anos, as histórias são lógicas e possuem uma finalidade; trazem temas como raiva, medo, amor e guerra e é também a fase que a criança acredita no herói. Depois dos oito anos, já unem a imaginação com aventuras reais e os amigos imaginários já não existem mais.

Normalmente a imaginação sempre contribui para o desenvolvimento da criança. Entretanto, ela pode ser perigosa quando a criança já não percebe que certas brincadeiras envolvem situações perigosas ou quando, na escola, ela se dispersa e não tem atenção na aula. Nessa situação, a criança precisa de compreensão e diálogo.

Hoje em dia, as crianças estão tendo dificuldades na elaboração de textos por não usarem a imaginação. Crianças com pouca imaginação são pouco criativas. É preciso, pois, muita brincadeira e jogos de regras para estimular a imaginação, pois ela, se saudável, contribui para formação intelectual e criativa da criança, além de diminuir a frustação e ajudar no desenvolvimento da linguagem.
             ­­­